Meu Perfil
BRASIL, Centro-Oeste, NUCLEO BANDEIRANTE, Homem, de 20 a 25 anos



Histórico
 23/04/2006 a 29/04/2006
 16/04/2006 a 22/04/2006
 02/04/2006 a 08/04/2006
 26/03/2006 a 01/04/2006
 19/03/2006 a 25/03/2006
 12/03/2006 a 18/03/2006
 05/03/2006 a 11/03/2006
 26/02/2006 a 04/03/2006
 19/02/2006 a 25/02/2006
 12/02/2006 a 18/02/2006
 29/01/2006 a 04/02/2006
 22/01/2006 a 28/01/2006
 15/01/2006 a 21/01/2006
 01/01/2006 a 07/01/2006
 25/12/2005 a 31/12/2005
 11/12/2005 a 17/12/2005
 04/12/2005 a 10/12/2005
 27/11/2005 a 03/12/2005
 13/11/2005 a 19/11/2005
 06/11/2005 a 12/11/2005
 30/10/2005 a 05/11/2005
 23/10/2005 a 29/10/2005
 16/10/2005 a 22/10/2005
 09/10/2005 a 15/10/2005
 02/10/2005 a 08/10/2005
 25/09/2005 a 01/10/2005
 18/09/2005 a 24/09/2005
 11/09/2005 a 17/09/2005
 04/09/2005 a 10/09/2005
 07/08/2005 a 13/08/2005
 31/07/2005 a 06/08/2005
 24/07/2005 a 30/07/2005
 10/07/2005 a 16/07/2005
 26/06/2005 a 02/07/2005
 19/06/2005 a 25/06/2005
 12/06/2005 a 18/06/2005
 05/06/2005 a 11/06/2005
 29/05/2005 a 04/06/2005


Votação
 Dê uma nota para meu blog


Outros sites
 Blog dos Mestres- Augustus, Solano e Meister
 Monergismo
 Blog do Daniel
 Igreja Presbiteriana da Alvorada
 Blog do André Diniz
 IvoneTirinhas
 Aprendiz de Escritora
 Blog da Raquel (irmã da Ivonete)
 Palavras...
 Limites e Possibilidades


Poesias e confissões de um nipo-reformado
 

Fome de paixão

Não é propriamente a razão que procuro
Embora não queira, de modo algum, desprezá-la
Mas admito que sou movido pelo desejo
Obcecado pelas loucuras da paixão

Anseio não apenas pela mãe de família
Mas também pela amante fogosa
Pelos beijos roubados de dia
Pelo calor da paixão à noite

Quero que ela sinta a minha falta
Que seus olhos se consumam
E o seu peito se contorça de dor
De saudades da minha presença

Quero amar um amor sem restrições
Onde a entrega é plena e total
Duas almas que se doam em amor
Dois corpos que se unem com paixão

Escrito por Helder Nozima às 00h14
[] [envie esta mensagem]



Viagem noturna

A passos lentos viajo pela estrada
Protegido pelas trevas e sombras
Atravesso a neblina espessa
Caminhando rumo ao desconhecido

O frio gela os meus ossos
E fere os meus pulmões
Mal sinto minhas extremidades
Sinto apenas o toque gélido da noite

O vinho não esquenta o coração
Apenas torna mais fácil o pranto
As lágrimas enchem os olhos
Mas só caem na solidão do caminho

As dúvidas as guardo comigo
Pois perigosas são as estradas
Não se sabe em quem se pode confiar
Os bandidos andam à solta

Com cautela sigo viagem
Cansado de promessas não cumpridas
Lembrando-me das surras dos malfeitores
Das oposições que enfrentei na jornada

Mas grato a Deus pelos poucos aliados
Que para mim estenderam suas mãos
Para eles dou minha gratidão e devoção
Minha lealdade lhes está reservada

Por ora, convém prosseguir, ainda que em trevas
O Sol não se mostrará tão cedo
E a vida não pode esperar
Nem sempre podemos escolher a hora da viagem

Convém que se vá, mesmo sem saber para onde
A noite não durará para sempre
Na solidão também fala o Senhor
E é no caminho que Ele nos dá a sua correção

Escrito por Helder Nozima às 00h34
[] [envie esta mensagem]




[ ver mensagens anteriores ]