Meu Perfil
BRASIL, Centro-Oeste, NUCLEO BANDEIRANTE, Homem, de 20 a 25 anos



Histórico
 23/04/2006 a 29/04/2006
 16/04/2006 a 22/04/2006
 02/04/2006 a 08/04/2006
 26/03/2006 a 01/04/2006
 19/03/2006 a 25/03/2006
 12/03/2006 a 18/03/2006
 05/03/2006 a 11/03/2006
 26/02/2006 a 04/03/2006
 19/02/2006 a 25/02/2006
 12/02/2006 a 18/02/2006
 29/01/2006 a 04/02/2006
 22/01/2006 a 28/01/2006
 15/01/2006 a 21/01/2006
 01/01/2006 a 07/01/2006
 25/12/2005 a 31/12/2005
 11/12/2005 a 17/12/2005
 04/12/2005 a 10/12/2005
 27/11/2005 a 03/12/2005
 13/11/2005 a 19/11/2005
 06/11/2005 a 12/11/2005
 30/10/2005 a 05/11/2005
 23/10/2005 a 29/10/2005
 16/10/2005 a 22/10/2005
 09/10/2005 a 15/10/2005
 02/10/2005 a 08/10/2005
 25/09/2005 a 01/10/2005
 18/09/2005 a 24/09/2005
 11/09/2005 a 17/09/2005
 04/09/2005 a 10/09/2005
 07/08/2005 a 13/08/2005
 31/07/2005 a 06/08/2005
 24/07/2005 a 30/07/2005
 10/07/2005 a 16/07/2005
 26/06/2005 a 02/07/2005
 19/06/2005 a 25/06/2005
 12/06/2005 a 18/06/2005
 05/06/2005 a 11/06/2005
 29/05/2005 a 04/06/2005


Votação
 Dê uma nota para meu blog


Outros sites
 Blog dos Mestres- Augustus, Solano e Meister
 Monergismo
 Blog do Daniel
 Igreja Presbiteriana da Alvorada
 Blog do André Diniz
 IvoneTirinhas
 Aprendiz de Escritora
 Blog da Raquel (irmã da Ivonete)
 Palavras...
 Limites e Possibilidades


Poesias e confissões de um nipo-reformado
 

Onde estás, por que te ausentas?
Busco por ti, mas foges de mim
Corro, mas não consigo alcançar-te
Invoco-te, mas não me ouves

Tua falta me consome e atormenta
Rouba de mim o vigor e a alegria
Solitária, minha alma se contorce
Sedento, o meu corpo esmorece

Suspiro pela vida e pela paixão
Quero sentir o coração em disparada
As mãos frias, os calafrios na espinha
O calor de teu abraço, o ardor de teu beijo

Sentir a loucura dominar meus pensamentos
E me perder em meio a versos e canções
Entorpecido pelo aroma de teu perfume
Embriagado pela doçura de seus lábios

Por favor, não fujas, não te escondas
Compadece-te da dor de um poeta
Sacia-me com teus beijos e carícias
E cura-me com teu amor e teu afeto


Escrito por Helder Nozima às 23h28
[] [envie esta mensagem]



À espera da noite que cai

Era dia, mas seu brilho se vai
Despede-se o Sol de seu curso
Enquanto as trevas avançam pela terra
E a Lua ensaia sua gloriosa aparição

Não há alegria que dure eternamente
Assim como as noites sucedem os dias
As tristezas se seguem às alegrias
Uma segue os passos da outra

Recolho-me para as celas da solidão
Para o silêncio e para a reflexão
Onde eu possa aliviar-me de meus medos
E chorar minhas dores e agonias

Traga a noite seus tormentos
Mas também os seus remédios
As trevas que assustam e oprimem
As lágrimas que lavam e purificam

Os pesadelos que expõem meus temores
E os sonhos que impulsionam os meus passos
O luto pelos planos que falharam
E a esperança dos sonhos que virão

Escrito por Helder Nozima às 23h06
[] [envie esta mensagem]




[ ver mensagens anteriores ]